. . .

terça-feira, julho 04, 2017

Resenha do filme: Antes que Eu Vá


Samantha Kingstom é uma adolescente normal, senão pela não tão boa relação com sua família e por ser popular na escola. Tem seu grupo de amigas (também populares), e um namorado que também não é nem um pouco diferente dela nesse quesito. Ela tem tudo que poderia querer pra sua vida e parece não se importar com nada, isso até o Dia de San Valentín, o dia que a sua vida viria a mudar para o tão breve e repentino sempre.



Poderia parecer um dia normal, se não fosse o grande dia! Dia em que ela mais tarde viria a ter a sua primeira vez, pelo menos é o que ela achava. Ainda na escola ela se mostra a clássica "amiga das populares e Bad Bitches", a que vê o bullying acontecer e não faz nada. E ao final da noite, a situação se repete, só que bem mais tensa, fazendo até com que saiam mais cedo da festa, e, posteriormente, sofram um acidente.



Daí em diante ela acorda, acorda e acorda, repetidas vezes, vivendo exatamente o mesmo dia, a mesma sexta feira que só se diferencia quando as suas ações a modifica, isso até que ela descubra o porque de tudo isso estar acontecendo.


Ao tom de roxo e de uma trilha sonora incrível, o filme mostra uma garota perdida tentando entender o porquê de tudo aquilo estar acontecendo com ela, e tendo a oportunidade de rever as suas atitudes e como trata as pessoas ao seu redor, que ainda que para ela no fundo sejam tão importantes, por mera falta de atenção passam despercebidas. Achei o filme bastante envolvente, tanto que no decorrer das repetições, com o avanço da Sam conseguimos também ter afinidade com as amigas dela, quando é mostrado aos poucos o lado bom de cada uma. Aproposito, o filme mesmo contendo "loop temporal" em nenhum momento fica entediante, ao meu ver é sempre imprevisível, o que é incrível. Isso sem falar da mensagem que ele passa pra gente, das perguntas que ele provoca sobre nós mesmos, sobra as nossas vidas... É realmente um daqueles filmes pra se levar pra vida, ainda que ela possa não passar de hoje. E tendo esse pretensioso porém, nos tornamos todos Samantha Kingstom.

0 comentários:

Postar um comentário